• Eduardo Bartkevihi

Lorrama Machado fala sobre caso de pastor que destruiu oferendas no Rio

Em nome da Comissão de Combate às Discriminações da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), a profissional conversou com KOBÁ

Pastor filmou a si mesmo destruindo oferendas (Foto: Reprodução)

A intolerância religiosa ainda se faz bastante presente na nossa sociedade. Segundo um levantamento realizado pelo Instituito de Segurança Pública do Rio de Janeiro (ISP/RJ), o estado registrou mais de 1.355 crimes relacionados à prática em 2020. Os dados oficias, baseados em boletins de ocorrência, mostram que foram mais de três casos por dia durante todo o ano. No entanto, essa intolerância é manifestada de diferentes formas.


Os delitos se dividem em três grupos: injúrias por preconceito (1188), preconceito de raça, cor, religião, etnia e procedência nacional (144), e ultraje a cultos religiosos (23).


Em pronunciamento ao coletivo KOBÁ, Lorrama Machado, representando a Comissão de Combate às Discriminações da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), falou sobre a importância do respeito ao próximo e do diálogo dentro das comunidades religiosas.


Clique aqui e assista.



6 visualizações0 comentário